6 de mai de 2010

Victoria Victorious, Jean Plaidy (2005)

É nessas horas que o cinema parece ser uma experiência tão limitada. Há algumas semanas assisti The Young Victoria (2009). Quando o filme acabou tive a mesma sensação, exatamente a mesma, do filme Elizabeth (1998). A sensação foi "Acabou? Mas não era para começar agora?". A acomodação de diversos fatos da vida de um personagem, desordenados e incongruentes para caberem no tempo do filme, sempre me deixou profundamente irritada.

Victoria Victorious foi uma grata surpresa. Mais uma vez, tive acesso à obra através de um audiobook muito agradável. Este livro, de Jean Plaidy, é uma obra de ficção histórica que segue uma linha de acontecimentos e mostra que a história de Victoria e Albert difere do mostrado no filme em diversos pontos. Um exemplo: no filme Príncipe Albert toma um tiro ao proteger a Rainha de uma tentativa de assassinato. A tentativa de fato ocorreu, mas ninguém se feriu. Realmente acho ultrajante estas invenções que simplesmente distorcem a história, já que quem assiste não tem condições de julgar a veracidade dos fatos - confiando em ALGUMA coerência com a realidade dos acontecimentos.



Enfim, bem escrita e agradável, fazendo juz à grandeza dos personagens, Victoria Victorious tem também os mesmos problemas da Saga Plantageneta: menos menos política e muito sobre a vida pessoal íntima, supondo sentimentos e pensamentos.

Entretanto, a autora escolhe uma abordagem inteligente, com a própria Victoria narrando os fatos de sua vida em forma de diário, em primeira pessoa.
Achei interessante a marcante colocação da personagem sobre a condição feminina na gravidez. Trata-se de uma mulher que pariu 9, NOVE, nove filhos. Victoria descreve sua revolta ao descobrir cada gravidez e a indignação durante a gestação. Vale marcar que ela foi uma das precursoras do uso do clorofórmio no parto.

Enfim, este livro valeu muito a pena, principalmente pelo romance e companheirismo de personagens reais (mesmo).

2 comentários:

  1. Oi!

    Mas vim agradecer sua visita e comentário lá no Meio Cozido! E pode deixar que já te coloquei no meu Google Reader!

    Sobre doramas, eu ainda tô conhecendo esse "universo" (e tô gostando), ao qual eu cheguei através da minha paixão por tokusatsu, rs.

    Nunca vi um dorama completo. Tenho 1 Litre no Namida todinho mas eu choro demais e não consigo prosseguir XD.

    Bem, desculpe o comentário sem relação com o post!

    ^_^

    ResponderExcluir
  2. De tokusatsu só conheço Jaspion e Chageman herere... Lá no JDrama tem uma série que está sendo traduzida chamada Buzzer Beat. Ela é menos chorosa. Eles ainda não terminara, mas vale a pena baixar o primeiro para ver se gosta...
    Apareça aí. Adicionei seu blog no reader tb :D

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails